Como saber qual a imunidade de uma pessoa normal?

0
611

Com a correria do dia a dia, falta de cuidados com a saúde e uma rotina atolada de afazeres que acabam levando nossos corpos ao limite não é raro que muitos acabem sentindo sinais de que a imunidade não anda em alta.

Mas, com tanta correria e esforço, será que sabemos quando precisamos ficar de olho nela? Para saber isso vamos primeiro tentar entender como funciona a nossa imunidade e como saber se ela está nos níveis aceitáveis para manter nosso corpo saudável.

O que é imunidade?

A imunidade do nosso corpo é a ferramenta de proteção ou resistência contra algo prejudicial a ele. Agentes como vírus, bactérias e toxinas que acabam gerando doenças, alergias e infecções são destruídas ou expulsas do nosso corpo, visando a sobrevivência e saúde dele.

O que é imunidade?
O que é imunidade?

Para isso nossa imunidade é constituída de órgãos, células especiais, proteínas e tecidos que assumem o papel de defensores contra os invasores que buscam nos fazer mal. Entre as células especiais que tem esse objetivo estão os linfócitos, neutrófilos, eosinófilos, basófilos e monócitos.

Cupom de Desconto Farmadelivery

Todas essas células especiais são apenas algumas das ferramentas que existem no nosso corpo para nos proteger, e fazem parte de um grupo de células maior chamado de leucócitos, também conhecidos como glóbulos brancos.

É nossa medula óssea que irá produzir os glóbulos brancos. Infelizmente ela pode ser prejudicada ao que somos submetidos a alguns tratamentos clínicos, como a quimioterapia e a radioterapia. É por isso que pacientes de doenças como câncer acabam tendo sua imunidade radicalmente reduzida, além do que a própria doença também já o faz.

Como saber se estamos saudáveis?

Quando nossa imunidade está baixa o número de linfócitos no nosso organismo começa a aumentar ou diminuir, dando o sinal de que tem algo de errado acontecendo.

Isso pode acontecer quando contraímos desde doenças mais leves, como alergias e gripes, até doenças mais graves, como HIV, toxoplasmose, leucemia e rubéola, hepatite, lúpus e linfoma.

Exames de sangue conseguem comprovar se você está ou não com a imunidade baixa
Exames de sangue conseguem comprovar se você está ou não com a imunidade baixa

Os laboratórios que fazem testes para contabilizar os números de leucócitos no nosso organismo podem mensurar de maneira diferente, assim como a idade e o sexo da pessoa tende a fazer variar esse número.

Mas, em um geral eles costumam permanecer na faixa de 4,500 a 10,000 glóbulos brancos.

Cada aumento ou diminuição na célula que existe dentro do glóbulo branco (linfócitos, neutrófilos, eosinófilos, basófilos e monócitos) irá significar um diagnóstico diferente, que irá depender da análise do médico que está atendendo o paciente.

O exame para verificar os números de cada uma dessas células é um exame de sangue simples, que pode ser pedido para saber como anda o estado de saúde do paciente e se ele possui os valores de imunidade de uma pessoa comum.

Como manter a imunidade alta?

Para mantermos nosso corpo saudável é preciso ter uma rotina que priorize a saúde dele. Nela entram questões como: uma boa noite de sono todos os dias, uma alimentação equilibrada e saudável, bons hábitos de exercícios e uma mente bem cuidada.

A alimentação, em especial, é de extrema importância se queremos manter todos os componentes que lutam como guerreiros no nosso organismo para vencer os invasores que nos fazem mal.

O consumo de proteínas, minerais e vitaminas são essenciais para manter nosso corpo saudável e capaz de produzir o que precisa para continuar funcionando.

Além disso, hábitos diários também acabam afetando muito mais a nossa saúde e nossa imunidade do que imaginamos. Problemas como estresse, excessos e ansiedade acabam minando nossa saúde física e mental e facilitando para que acabemos desenvolvendo doenças mais facilmente.

Quais os sintomas de uma imunidade que anda em baixa?

Se você sente um cansaço constante, costuma ficar resfriado com facilidade, começar a espirrar depois de pegar uma chuva, vive com várias alergias…então talvez a sua imunidade esteja precisando de reforço.

Veja esse vídeo do especialista Cláudio Mutti :

A perda dos níveis normais de imunidade são especialmente agravantes ao que se é vítima de doenças graves, como a leucemia, por exemplo. Mas também pode ser percebida em pequenas tarefas e mal estares do dia a dia.

Por isso é preciso tomar cuidado e buscar um equilíbrio e cuidados, fazendo assim com que nosso corpo esteja sempre pronto para combater qualquer inimigo.

Imunidade inata e imunidade adquirida: qual a diferença entre elas?

É chamado de imunidade inata ou humana quando nosso corpo consegue adquirir imunidade de maneira natural ao agente que busca prejudicar nosso organismo.

Isso acontece, principalmente, quando acabamos pegando alguma doença e nosso corpo se cura por conta própria dele, fazendo com que se ele voltar a nos atacar nosso organismo já esteja preparado para contra atacar.

Conheça um pouco mais sobre os tipos de imunidade
Conheça um pouco mais sobre os tipos de imunidade

Já na imunidade adquirida nós somos levados a desenvolver essa imunidade, normalmente ao tomarmos as vacinas contra determinada doença.

Nas vacinas existem uma pequena parte dos componentes que causam as doenças, que quando colocadas no nosso corpo são atacadas pelas defesas que precisam desenvolver anticorpos específicos contra essa nossa ela.

Depois que elas fazem isso nosso corpo guarda as informações sobre o vírus, bactéria ou qualquer outro e os anticorpos que produzimos para vencê-la.

Assim, ao sermos atacados novamente pela mesma doença nosso organismo já é capaz de neutralizar ou diminuir a capacidade dela de nos prejudicar ou causar sintomas mais graves.

O perigo de novas doenças

Doenças aos quais nosso organismo não estão acostumadas são sempre um perigo que pode se tornar agravante. É o caso das infecções respiratórias vindas da família viral coronavírus, como o SARS, MERS e o novo Covid-19.

As três têm como semelhança, além de virem de um mesmo tipo de vírus, terem como origem os animais com o quais o ser humano acabou tendo contato ou consumido a carne.

Existem muitas doenças que sobrevivem nos corpos de animais, podendo fazer mal a eles ou não, e que quando em contato com seres humanos podem se transformar em algo mortal para nós.

Por ser algo desconhecido o nosso corpo não tem qualquer anticorpo para se defender e se o  vírus se alastra de maneira agressiva e rápida nosso organismo pode não conseguir se defender rápido o bastante.

Por isso essas doenças, quando surgem, acabam matando ou adoecendo gravemente um grande número de pessoas.