Quantos dias o bebê pode ficar sem fazer coco?

0
19156
quantos dias o bebê pode ficar sem fazer coco
quantos dias o bebê pode ficar sem fazer coco

Embora nos primeiros meses de vida os bebês tendem a fazer coco com mais frequência, conforme o organismo amadurece a quantidade de troca de fraldas durante o dia começa a diminuir. Com isso, alguns bebês podem até mesmo ficar dias sem sujar a fralda e ainda assim ser algo completamente normal. A maior dúvida dos pais, porém, é quantos dias o bebê pode ficar sem fazer coco sem que seja necessário se preocupar.

Apesar de alguns bebês sofrem com prisão de ventre em decorrência do próprio organismo, é normal que todos os bebês passem pelo menos 1 dia sem evacuar durante os primeiros meses de vida.

Isso porque durante o primeiro mês, a imaturidade do sistema digestivo faz com que os recém-nascidos façam coco depois de todas as mamadas, e é somente durante o segundo mês de vida que os hábitos intestinais começam a se formar de forma individual.

Ou seja, a partir do segundo mês de vida alguns bebês podem apresentar problemas de evacuação, enquanto outros fazem coco com uma frequência maior.

Cupom de Desconto Farmadelivery

Para lhe auxiliar a entender melhor como funciona o intestino do seu bebê e quanto tempo ele pode ficar sem fazer coco, separamos algumas informações sobre o assunto para tirar todas as suas dúvidas. Veja a seguir!

Quantos dias o bebê pode ficar sem fazer coco?

Para bebês que são amamentados exclusivamente no peito, é normal ficar até 7 dias sem fazer coco sem que os pais precisem se preocupar.

O pediatra deve ser consultado apenas caso o bebê passe mais de 1 semana sem fazer coco, ou demonstre sintomas como barriga dura e desconforto como excesso de gases.

bebês alimentados com fórmulas devem ser consultados sempre que apresentarem dificuldades para fazer coco
bebês alimentados com fórmulas devem ser consultados sempre que apresentarem dificuldades para fazer coco

Já em crianças que ingerem fórmula, é importante consultar o médico desde os primeiros sinais de constipação como fezes endurecidas e dificuldades na hora de evacuar.

Para bebês que não podem ser amamentados, é possível encontrar no mercado fórmulas com pré-bióticos na composição para a prevenção do intestino preso. 

A fórmula interfere em alguma coisa?

Sabe-se que bebês de até 6 meses que foram amamentados com leite materno apresentam menos chances de desenvolver constipação quando comparados com bebês que ingeriram fórmulas nos primeiros meses de vida.

A explicação é que o leite materno é rico em pré-bióticos, substâncias que possuem um efeito similar ao da fibra alimentar solúvel dentro do intestino. Com isso, o bebê possui um crescimento maior de bactérias protetoras que além de estimular o funcionamento correto do intestino, também protegem contra doenças infecciosas.

No entanto, isso não significa que bebês que mamam apenas leite materno não possam desenvolver constipação.

A introdução alimentar interfere na frequência do coco?

Sim, visto que certos alimentos como a maçã, por exemplo, contribuem para a prisão de ventre. O ideal é oferecer frutas como mamão com frequência para ajudar a regularizar o intestino, oferecendo os alimentos que prendem com uma frequência menor para haver um equilíbrio.

Além disso, frutas como ameixa e pera são ricas em sorbitol, uma substância considerada um laxante natural e é importante oferecê-las pelo menos 1 vez na semana.

Invista também em alimentos saudáveis como legumes, vegetais e hortaliças ricos em fibras e evite industrializados, já que esses alimentos podem contribuir para a constipação em bebês e crianças.

Como evitar a constipação em bebês?

Em bebês menores de 6 meses que se alimentam apenas com leite materno, além da ingestão de pelo menos 3 litros de água por dia, a mãe também deve investir em uma alimentação saudável e natural e oferecer o peito mais vezes para que o bebê ingira todo os pré-bióticos necessários do leite materno.

Já em bebês que se alimenta de fórmulas, além de optar pelas que possuem prebióticos na composição, também é importante oferecer água ao bebê de acordo com a recomendação do pediatra para evitar que o bolo fecal se forme em grande quantidade e o bebê não consiga evacuar. Isso porque as fórmulas costumam causar um ressecamento maior das fezes, o que contribui para que o bebê fique mais dias sem fazer coco.

para evitar a constipação em bebês maiores de 6 meses, você pode oferecer alimentos considerados laxantes naturais como a ameixa seca e a pera
para evitar a constipação em bebês maiores de 6 meses, você pode oferecer alimentos considerados laxantes naturais como a ameixa seca e a pera

Já em bebês maiores de 6 meses que já se alimentam também com frutas e vegetais, é importante ficar de olho nos alimentos que desregulam o intestino do bebê, além de oferecer água frequentemente, já que ao começar a se alimentar com alimentos sólidos a tendência é que o bebê ingira menos leite e, consequentemente, menos líquido, o que pode desencadear uma prisão de ventre.

Você também pode investir em massagens na região do abdômen fazendo uma leve pressão para baixo. Essa massagem auxilia no trânsito intestinal e ajuda o bebê a evacuar caso esteja com o intestino preso.

Alimentos que prendem o intestino do bebê

Durante a introdução alimentar, evite oferecer os alimentos abaixo com muita frequência, lembrando de intercalar cada um deles com outros tipos de frutas e vegetais para balancear a alimentação e evitar que o intestino se desregule.

Batata, pães e mandioca

Por serem ricos em amidos, esses alimentos tendem a prender o intestino se forem oferecidos frequentemente para bebês. O ideal é que você ofereça os amidos junto com alimentos como abacate, coco, azeite, brócolis e laranja.

Banana-maçã

A banana-maçã é recomendada principalmente após desidratação e vômitos, mas não deve ser oferecida frequentemente no dia a dia para evitar a constipação.

Maçã

Bastante conhecida por prender o intestino, a maçã é uma fruta que devem ser oferecida em intervalos maiores, principalmente em bebês que sofrem com o intestino preso. No entanto, a maçã cozida pode ajudar a regularizar o intestino graças à pectina, uma fibra solúvel que melhora o trânsito intestinal e absorção de água.

a maçã é uma das frutas mais conhecidas por prender o intestino, e deve ser oferecida intercalada com outros alimentos para não interferir no trânsito intestinal
a maçã é uma das frutas mais conhecidas por prender o intestino, e deve ser oferecida intercalada com outros alimentos para não interferir no trânsito intestinal

Goiaba

Por contribuir com o intestino preso, a goiaba pode ser usada principalmente em casos de diarreia para controlar o quadro em crianças acima dos 6 meses. Porém, apesar de prender o intestino, pode ser oferecida entre 1 e 2 vezes na semana sem problemas, desde que o bebê mantenha uma alimentação saudável.

Agora que você viu quantos dias o bebê pode ficar sem fazer coco, não é necessário entrar em pânico caso o seu filho esteja há 2 dias sem fazer coco. Porém, se o seu bebê apresenta quadros constantes de prisão de ventre que perduram mais de 4 ou 5 dias, é importante conversar com o pediatra para investigar as possíveis causas do problema.