Quais os principais sintomas do Covid-19 e como ele atinge o pulmão?

Com status de pandemia mundial, e tendo ultrapassado o número de duzentos mil casos em todo o mundo, o Covid-19, ou novo coronavírus, chegou ao Brasil e já causou sua primeira morte no dia 16 de março.

O número de suspeitos de estarem infectados com a doença cresce a cada dia e a contenção de transmissão tem sido a principal batalha dos governos federal, estadual e municipal. Mas, você sabe o que o Covid-19 faz com o nosso corpo? Quais sintomas podemos esperar ao contrair essa nova doença?

Dois tipos de sintomas: leves e graves

O Covid-19 se comporta de forma muito parecida com outras doenças da família viral coronavírus. Dentro desse espectro estão doenças respiratórias já bem conhecidas pela maioria das pessoas como: resfriado, gripe, H1N1, pneumonia, entre outros.

Por já serem velhas conhecidas da população muitos acabam não tendo total compreensão da gravidade de algumas dessas doenças, como a gripe a H1N1, por exemplo. Em casos graves são doenças que podem levar um paciente a morte, especialmente se ele já for idoso.

Sendo da mesma família viral os sintomas do novo coronavírus, que surgiu entre os humanos no início de dezembro de 2019, e desde então vem se espalhando de maneira veloz pelo globo, acaba por se assemelhar muito a elas.

Esses sintomas vão desde manifestações consideradas mais leves até outras que podem ser responsáveis prejudicar permanentemente nosso sistema respiratório. Para entendermos melhor a diferença iremos dividi-las em dois tópicos: leves e graves.

Lembrando que a doença pode se desenvolver de maneiras diferentes em cada paciente, tendo até mesmo aqueles que não apresenta nenhum tipo de sintoma. Mas que ainda assim é uma fonte de risco, já que podem transmitir a doença.

Os sintomas leves do COVID-19

Os sintomas do novo coronavírus afetam um único caminho do seu corpo, mas que se divide em duas partes: às vias aéreas superiores e as vias aéreas inferiores.

Principais sintomas do COVID-19 (Fonte: BBC News)
Principais sintomas do COVID-19 (Fonte: BBC News)

As vias superiores, que são onde ocorrem os sintomas mais leves da doença, são nariz e garganta.

É por esse espaço que o vírus entra e mostra seus primeiros sinais. Entre os sintomas mais típicos que já se conhecem do Covid-19 estão a coriza, congestão nasal, dores de garganta e cansaço.

A tosse também pode estar presente e, em conjunto com os espirros, são as maiores ferramentas da doença para espalhar ainda mais o vírus. Uma febre razoavelmente leve também pode surgir nos infectados.

Veja também este vídeo com o infectologista Álvaro Furtado Costa, do Hospital das Clínicas de São Paulo e do Instituto Emílio Ribas :

Os sintomas graves

Já os casos mais graves do Covid-19 surgem ao que ele se alastra pelas vias aéreas inferiores, que são a traqueia, brônquios e alvéolos. Essa área consiste no caminho até seu o pulmão e esse órgão em si.

Por afetar justamente aquele que é o principal motor do nosso corpo para que consigamos respirar o sintoma mais comum dentre os graves do novo coronavírus é a insuficiência respiratória. Ela dificulta nossa capacidade de respirar, causando falta de ar até com os menores movimentos ou ao estar parado.

A tosse seca e constante também é um sinal de que a doença já está em estágios mais avançados sobre o corpo. Junto a ela você pode perceber que vai começar a expelir catarro com pus ao espirrar e uma sensação de esforço no pulmão.

Veja esse infográfico com as classificações da tosse:

Principais diferenças da tosse (Fonte: G1)

Febres altas e constantes, que causam calafrios, se tornam também um dos perigos. Por último, mas não menos importante, alguns pacientes também podem apresentar diarreia ou perceber que os lábios e as pontas dos dedos estão arroxeados.

Os perigos para o seu pulmão

Por ser uma doença respiratória e afetar todo o caminho feito para que o oxigênio necessário possa circular no seu corpo o pulmão é justamente a maior vítima do Covid-19.

Como dito antes, em casos mais leves a doença pode se apresentar apenas como uma gripe leve. Porém, ao desenvolver sintomas graves o paciente pode ter seu sistema respiratório comprometido de maneira permanente.

Os danos que o coronavírus pode causar aos pulmões
Os danos que o coronavírus pode causar aos pulmões

Isso acontece porque o vírus entra pelo seu nariz, boca ou olhos (que possuí uma comunicação direta com o nariz) e se alastra por todo o caminho até o pulmão. Estando lá ele destrói a pele que possuímos na parte interna desse órgão, que é o responsável por jogar o oxigênio que puxamos do ar e o enviar para o nosso sangue.

Além de destruir essa pele o Covid-19 também vai causar o inchaço do pulmão e uma infecção na área, que pode ser em apenas um parte dele ou em todo o órgão de maneira generalizada.

É por destruir a parte interna do nosso pulmão que acabamos tendo dificuldade para respirar, já que nosso corpo não consegue enviar para o sangue o oxigênio necessário. Também a tosse seca, que vem do esforço feito apenas para puxar o ar, que será levado a um lugar danificado.

Se recuperar do Covid-19 é o bastante?

Médicos relatam que em alguns casos mesmo os sintomas leves podem acabar gerando consequências no pulmão dos pacientes. Como a doença tem poucos meses de vida no organismo dos seres humanos é impossível medir quais serão suas consequências a longo prazo.

Entretanto, a experiência dos médicos que trataram dos primeiros pacientes demonstram que as consequências podem ser permanentes.

Especialmente nos pacientes que acabam desenvolvendo os sintomas mais graves da doença. Medições apontam que eles podem perder de 20% a 30% da capacidade respiratória.

O mesmo aconteceu com os pacientes da SARS (sigla de Síndrome Respiratória Aguda Grave) e da MERS (sigla de Síndrome Respiratória do Oriente Médio), duas doenças que também pertencem a família viral coronavírus e foram problemas de saúde mundial em 2002 e 2012, respectivamente.

Quem deve se preocupar com o novo coronavírus?

Os grupos de pessoas que estão diretamente na zona de risco são: idosos e pessoas com doenças crônicas como diabetes, câncer, doenças cardiovasculares e problemas respiratórios ou digestivos.

No início do espalhamento da doença se difundiu muito a ideia de que crianças e pessoas abaixo dos 50 anos tinham poucos riscos a doença. Contudo, nas últimas semanas, a taxa de mortalidade de pessoas mais jovens tem aumentado.

Especialistas apontam para algumas possibilidades. Entre elas o descuido dessa parcela da população aos cuidados com a doença, exatamente por teoricamente terem menos riscos.

Isso, somado ao número cada vez maior de infectados e a incapacidade do sistema de saúde dos países, faz com que pacientes graves acabem surgindo em todas as faixas etárias.

Idosos devem ter seu cuidado redobrado com o coronavírus
Idosos devem ter seu cuidado redobrado com o coronavírus

Por isso, é de extrema importância que todos tomem os devidos cuidados, porque TODOS devem se preocupar com a possibilidade de ser infectado pelo Covid-19. Não apenas pelos sintomas da doença, mas também pela facilidade de espalhamento dela.

Como uma pessoa se infecta com o Covid-19?

A transmissão do novo coronavírus é feita através das gotículas de saliva que saem ao que tossimos, espirrarmos ou falamos. Essas mesmas gotículas ao entrarem em contato com a mucosa que existe em nossa boca, nariz e olhos permite que o vírus entre no nosso sistema e cause a infecção.

Contatos diretos como beijos, aperto de mãos e abraços podem ser transmissores de pessoa para a pessoa. No primeiro caso irá ocorrer a troca direta de saliva, enquanto nas outras duas você poderá receber de maneira próxima às gotículas vindas de uma pessoa infectada, ou tocar um parte dela onde elas estejam, e ao tocar seu rosto permitir que o vírus o alcance.

Contato com objetos onde essas gotículas foram deixadas também podem permitir que você seja infectado. Ao tocar aparelhos celulares, teclados, partes de transportes públicos, maçanetas entre tantos outros é de extrema importância evitar tocar o rosto em seguida.

Quais cuidados devemos tomar?

As principais ferramentas para se proteger do Covid-19 atualmente são os cuidados com a higiene e a isolação social.

Lavar as mãos depois de tocar objetos compartilhados, usar transportes públicos, antes e depois de usar o banheiro, depois de apertar a mão de alguém, entre outras situações, é vital para manter a higiene básica.

Intensificar nossa higiene pessoal é uma importante ferramenta contra o coronavírus
Intensificar nossa higiene pessoal é uma importante ferramenta contra o coronavírus

Para isso você deve usar um sabonete ou sabão, que não precisa ser de nenhum tipo especial. Ensaboe completamente suas palmas, costas das mãos e punho, tendo atenção especial para lavar bem entre os dedos, polegar e pontas dos dedos.

Depois de enxaguar use uma toalha de papel para fechar a torneira e abrir e fechar a porta do banheiro.

Veja esse vídeo que o Dr Dráuzio Varella ensina o passo a passo para lavar as mãos de forma adequada:

Sempre que possível dê preferência a toalhas de papel e evite sempre usar objetos compartilhados com outras pessoas, como toalhas, talheres, copos, entre outros.

O Álcool em gel é uma opção interessante ao sabonete em situações do cotidiano como ao ir no supermercado ou andar de transporte público.

A quarentena tem sido a principal recomendação tanto dos órgãos de saúde oficiais quanto de especialistas da área de saúde.

É extremamente importante que se evite aglomerações de pessoas, onde o contágio é extremamente facilitado, e até mesmo sair de casa em situações que não sejam de extrema importância.

Observe a imagem abaixo com as informações importantes sobre a prevenção do COVID-19:

A prevenção é nossa principal arma! (Fonte: G1)

Ao ter contato direto com pessoas tente manter uma distância mínima e, em casos onde sair é essencial, como ir ao mercado, farmácia ou trabalho, tenha sempre em mente os cuidados de higiene.


Tudo o que você precisa para sua saúde e bem-estar!

Mais de 20 mil itens com os melhores preços do mercado!

Cadastre-se e receba um cupom de desconto em seu e-mail.

Posts Similares