Ibuprofeno- O que é, Para que serve, Como Tomar?

Descoberto em 1961 por Stewart Adams, o Ibuprofeno foi comercializado pela primeira vez em 1969 no Reino Unido, e este se encontra na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde (OMS), ou seja, é considerado um dos medicamentos mais importantes para um sistema básico de saúde.

Ibuprofeno
Ibuprofeno

Foi comercializado pela primeira vez em 1969 no Reino Unido, e este se encontra na Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial de Saúde (OMS), ou seja, é considerado um dos medicamentos mais importantes para um sistema básico de saúde.

Indicações do Ibuprofeno

O Ibuprofeno é um medicamento que apresenta ações anti-inflamatória, antipirética e analgésica, sendo desta forma, prescrita a fim de aliviar os sinais e sintomas de artrite reumatoide (inflamação crônica das articulações) e osteoartrite (lesão crônica das articulações), traumas relacionados ao sistema musculoesquelético e tratamento de dor pós-cirúrgico para procedimentos odontológicos, ortopédicos, de ginecologia e otorrinolaringologia.

Leia também: Enxaqueca- Conheça causas e tratamentos

Ainda, para resfriados, lombalgia (dor na região lombar inferior) e cefaleia (dor de cabeça), cólica menstrual, dor de dente e enxaqueca.

De acordo com estudos, cerca de 60% das pessoas que fazem o uso deste medicamento apresentam melhora clínica, ou seja, redução ou desaparecimento dos sinais e sintomas. E caso o princípio ativo não surtir nenhum efeito, recomenda-se que seja utilizado outro anti-inflamatório não esteroidal.

Posologia do Ibuprofeno

Os medicamentos formulados com tal fármaco são compostos pelo princípio ativo Ibuprofeno, tendo sua concentração e apresentação variadas.

É recomendado para adultos e crianças acima de 1 anos, podendo ser administrado na dose de 1 ou 2 comprimidos de 200mg a cada 4 a 6 horas, não excedendo o total de 2.400mg em 24 horas.

A dose recomendada para crianças é de 1 a 2 gotas/kg, em intervalos de 6 a 8 horas, isto é, de 3 a 4 vezes ao dia. A dose máxima para crianças menores de 12 anos é de 40 gotas, o equivalente a 200mg, sendo que a dose máxima permitida por dia (24 horas) é de 160 gotas, o mesmo que 800mg.

Ibuprofeno- Tenha cuidado com a dose diária!
Ibuprofeno- Tenha cuidado com a dose diária!

Devido o seu revestimento, os comprimidos não devem ser partidos, aberto ou mastigado, o que pode levar a perda do principio ativo, e consequentemente, a perda do efeito desejado.

Pode ser administrado com ou após a alimentação. E, Por possuir açúcar na maioria de suas composições, em especial, para com as formulações em suspensão, o seu uso deve ser realizado com cautela por portadores de diabetes.

Não realizar o uso para fim analgésico por mais de 10 dias ou para efeitos antipiréticos por mais de 3 dias, a menos que seja prescrito pelo médico. Siga a orientação do seu médico, respeitando os horários e doses.

Desta forma, não interrompa o tratamento sem o conhecimento do profissional e não ultrapasse a dose recomendada;

Apresentações e concentrações

Assim como qualquer outro medicamento, o Ibuprofeno pode ser encontrado na farmácia em diferentes apresentações e também concentrações, as quais são prescritas pelo médico de acordo com a dose e peso de cada paciente.

O Ibuprofeno é um medicamento de fácil acesso
O Ibuprofeno é um medicamento de fácil acesso

Contudo, é possível adquiri-lo nas concentrações e com apresentações com nomes comerciais distintos, como Advil, Ibupril, Atrofem, Buscofem, Alivium, Doraliv, Spidufen, Vantil, Motrin e versão genérica (Ibuprofeno).

São elas:

  • Ibuprofeno, comprimido (300 mg);
  • Ibuprofeno, comprimido (400 mg);
  • Ibuprofeno, comprimido (600 mg);
  • Ibuprofeno Gotas, frasco (50mg/mL), 30 mL;
  • Ibuprofeno Suspensão, frasco (100mg/mL), 20mL.

Para com as formulações em suspensão não há necessidade de diluição, e antes de seu uso, deve-se agitar bem.

Preço do Ibuprofeno

O valor do ibuprofeno pode variar com acordo com o laboratório fabricantes (marca), quantidade de comprimidos, concentrações dos comprimidos ou suspensão.

Também é um medicamento de baixo custo

Mas, o preço inicial para dois comprimidos, por exemplo, é de a partir de R$3, enquanto que caixas contendo 20 comprimidos tem o valor de R$20.

Lembrando que estes valores descritos nesta matéria estão relacionados com o mês de abril de 2019. Ainda, é interessante ressaltar que este medicamento pode ser adquirido sem receita médica, porém, evite a automedicação e utilize-o apenas de acordo com a orientação de um profissional da saúde.

Contraindicações

O ibuprofeno é contraindicado para pacientes que apresentam hipersensibilidade a substância ativa deste medicamento, assim como para qualquer componente de sua formulação (expediente q.s.p.).

Não deve ser administrado por pessoa que apresentam histórico de úlcera e sangramento gastrointestinal, pelo fato de estes sinais serem as principais reações adversas do medicamento.

Não é indicado seu consumo no final da gestação
Não é indicado seu consumo no final da gestação

Ainda, não deve ser usado durante os últimos três meses de gestação devido o aumento da pressão arterial e pelo fato de reduzir as contrações uterinas, retardando desta forma, o parto. Não utilizar o ibuprofeno junto de bebidas alcoólicas.

De acordo com a Academia Americana de Pediatria, o Ibuprofeno é classificado como um medicamento de baixo risco para com a amamentação, pois o bebê recebe apenas uma pequena quantidade do fármaco, a qual não apresenta riscos.

Desta forma, o Ibuprofeno pode ser utilizado durante a amamentação. Todavia, não é recomendado para mulheres que estejam amamentando. É contraindicado para pacientes menores de 6 meses de idade.

Efeitos colaterais do Ibuprofeno

Além destas importantes contraindicações, o ibuprofeno possui alguns efeitos colaterais, sendo eles:

  • Alterações gastrointestinais: vômito, anorexia, diarreia, melena (fezes escuras), hematêmese (vômito com presença de sangue), ulcerações, prisão de ventre, gases, agravamento da colite e Doença de Crohn (doença inflamatória séria do trato gastrointestinal), pancreatite (inflamação do pânceras);
  • Urinárias: poliúria (micção excessiva), necrose papilar renal (destruição de certas células do rim), azotemia (altas concentrações de produtos nitrogenados no sangue), necrose tubular (destruição de certas células do rim), hematúria (presença de sangue na urina) e insuficiência renal, glomerulite (inflamação dos glomérulos do rim), hematúria (presença de sangue na urina), poliúria (aumento da quantidade de urina), nefrite túbulo-intersticial (inflamação em parte dos rins);
  • Hematológicas: trombocitopenia (redução do número de plaquetas), anemia aplástica (distúrbio na formação das células sanguíneas), agranulocitose (diminuição de células do sangue);
  • Hepáticas: aumento de enzimas, hepatite (inflamação do fígado), insuficiência hepática (redução da função do fígado), icterícia (pele e mucosas amareladas);
  • Neurológicas: letargia e convulsões, confusão (diminuição da consciência com pensamentos confusos), depressão, insônia, tontura, nervosismo, parestesia (sensação na pele como frio, calor, formigamento, e outros).
  • Cardiorrespiratórias: taquipneia (aumento da frequência respiratória), bradicardia (redução da frequência cardíaca), hipertensão (aumento da pressão arterial), palpitações, asma brônquica, insuficiência cardíaca congestiva em pacientes com função cardíaca limítrofe, tosse;
  • Ocular: redução da capacidade visual, olhos secos, vermelhidão ocular;
  • Dermatológicas: edema (inchaço), urticária (coceira), erupção cutânea (vermelhidão da pele), púrpura (manchas causadas por extravasamento de sangue na pele).

Em caso de aparecimento de efeitos colaterais, informe ao seu médico ou ao farmacêutico, e também a empresa através do serviço de atendimento ao consumidor.

Para casos de superdosagem deste medicamento, procure rapidamente o pronto atendimento médico mais próximo, levando consigo a embalagem e/ou a bula do medicamento.

Persistindo algum sintoma, procure um médico
Persistindo algum sintoma, procure um médico

Nestas circunstâncias, os efeitos colaterais são evidentes, sendo que os sintomas mais frequentemente relatados pelos pacientes incluem dor abdominal, letargia, êmese, sonolência, dor de cabeça, sedação, zumbido e convulsões, insuficiência renal aguda (falência dos rins) e até mesmo, parada respiratória (em especial em crianças).

O tratamento da superdosagem por Ibuprofeno é de suportes, já que não existe antídoto para este fármaco, portanto, trata-se os sintomas decorrente de seu uso indevido.

O tratamento geralmente consiste na lavagem gástrica, e caso seja necessário, correção eletrolítica do sangue, uso de carvão ativado, manter a diurese (micção), controlar a hemorragia gástrica, acidose metabólica (excesso de acidez no sangue) e hipotensão.

Em estudo realizado em 2018, o uso contínuo do Ibuprofeno (pelo menos duas semanas) pode levar a redução da produção de testosterona pelos testículos, o que consequentemente estimula a produção de hormônio luteinizante para que sejam mantidos os níveis normais de testosterona.

Assim, seu uso prolongado pode levar a infertilidade masculina, enquanto que para mulheres também pode ocasionar infertilidade reversível, já que o AINE pode retardar ou impedir a ruptura dos folículos ovarianos. Assim, mulheres que estão em tratamento de infertilidade ou tem dificuldade de engravidar deve cessar o uso de Ibuprofeno.

O uso prolongado de Ibuprofeno também pode aumentar o risco de ataque do coração, derrame cerebral e infarto. E o aparecimento de complicações como depressão, doenças cardiovasculares e disfunção erétil.

Caso ocorra reação alérgica ou qualquer outra reação indesejável, piora do estado febril, piora da dor, dor de estômago, vômito com sangue, e/ou fezes enegrecidas ou com presença de sangue, interrompa o uso deste medicamento e consulte seu médico.

Os efeitos colaterais podem ser minimizados ou cessados caso o medicamento seja administrado em sua dose correta e seu uso não for contínuo.

Interações medicamentosas

A proporção de absorção do princípio ativo deste medicamento (ibuprofeno) pode sofrer atraso, assim como a concentração de pico sérico pode ser reduzida quando administrado com a alimentação. Porém, a sua biodisponibilidade não apresenta significativas alterações.  

Recomenda-se a precaução do uso de Ibuprofeno concomitante a outros AINEs, além de:

  • Ácido acetilsalicílico;
  • Corticosteroides;
  • Glicocorticoides;
  • Agentes anticoagulantes ou trombolíticos;
  • Inibidores de agregação plaquetária;
  • Hipoglicemiantes orais ou insulina;
  • Anti-hipertensivos;
  • Diuréticos;
  • Ácido valproico;
  • Ciclosporina;
  • Metotrexato;
  • Probenecida;
  • Digoxina;
  • Inibidores seletivos de recaptação da serotonina (ISRS);
  • Lítio.

Há aumento das concentrações plasmáticas de lítio, metotrexato e digoxina. Pode também interferir no efeito dos diuréticos e de medicamentos hipotensores (utilizado para reduzir a pressão arterial).

Seu uso concomitante com glicocorticoides, outros AINEs e/ou com álcool aumenta as chances do aparecimento de úlcera gástrica, enquanto que com AINEs e heparina, eleva-se a sua atividade antitrombótica.

Em exames laboratoriais, em especial em hemograma pode reduzir os valores de hematócrito (concentração de glóbulos vermelhos no sangue) e de hemoglobina (célula vermelha do sangue), enquanto que para a dosagem de glicemia também pode haver diminuição dos níveis séricos no sangue.

Farmacologia

Este medicamento é um AINE (Anti-Inflamatório Não Esteroidal), isto é, não é derivado de hormônios. Age inibindo a produção de prostaglandinas, substâncias que promovem a estimulação da inflamação, atuando de forma não seletiva nas ciclooxigenases (COX) 1 e 2, o que consequentemente resulta na não formação de mediadores pró-inflamatórios pela cascata de ácido araquidônico.

Fórmula Química do Ibuprofeno
Fórmula Química do Ibuprofeno

Em relação à inibição de prostaglandina, por exemplo, como efeito colateral há a redução da proteção da mucosa gástrica para com a acidez.

É facilmente absorvido pelo sistema gastrointestinal, tendo seu pico sérico entre 1 a 2 horas, e ação em 30 minutos após sua administração via oral, e com tempo de duração de ação analgésica de 4 a 6 horas, enquanto que a ação antipirética pode chegar até 8 horas.

Possui alta afinidade com proteínas e sua meia-vida de eliminação acontece em aproximadamente 2 horas. Sua metabolização acontece no fígado e sua excreção é realizada pelos rins.

Armazenamento

Este medicamento deve ser mantido em temperatura ambiente, entre 15°C a 30°C, sob proteção de luz e umidade. Nestas condições de armazenamento, o seu prazo de validade é de 24 meses a partir da data de fabricação.

Entretanto, no momento de fazer o uso do medicamento, observe seu aspecto, e caso esteja no prazo de validade e com alteração em seu aspecto, consulte o farmacêutico para certificar de que o mesmo pode ser ou não utilizado. E caso o prazo de validade esteja vencido, evite o uso do medicamento.

Lembrando que todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

O que fazer quando se esquecer de tomar o medicamento?

Caso você se esqueça de tomar o medicamento no intervalo estipulado pelo seu médico, tome-o assim que lembrar, e siga o intervalo a partir desta última administração.

Porém, caso esteja próximo do horário tomar a próxima dose, pule a dose esquecida e tome a próxima, dando continuidade ao tratamento normalmente.

Desta forma, evite tomar o dobro da dose a fim de compensar a dose ou as doses esquecidas, tal manobra pode ocasionar em superdosagem deste medicamento. É válido ressaltar que o esquecimento da dose pode comprometer o resultado do tratamento e seus efeitos positivos.



Tudo o que você precisa para sua saúde e bem-estar!

Mais de 20 mil itens com os melhores preços do mercado!

Cadastre-se e receba um cupom de desconto em seu e-mail.

Posts Similares