Qual a gripe mais perigosa?

0
470
veja no texto a seguir se a gripe pode matar
veja no texto a seguir se a gripe pode matar

Embora possa parecer inofensiva, a gripe possui tipos e subtipos que podem ser bastante perigosos e letais para a humanidade. Isso porque em alguns casos a doença pode evoluir para complicações mais sérias como pneumonia e a SARS, sigla para Síndrome Respiratória Aguda Grave. Ou seja, é importante que você saiba qual a gripe mais perigosa e faça a prevenção correta.

Desde à gripe espanhola que matou milhões de pessoas no mundo todo em 1918, até o surto de 2018 nos Estados Unidos da gripe H3N2, existiram diversas mutações no vírus influenza e seus subtipos. Com novas gripes surgindo o tempo todo, graças à capacidade de mutação do vírus influenza, a dúvida de qual delas é a mais letal para o ser humano continua sendo bastante recorrente entre a população.

Veja a seguir mais informações sobre as gripes que mais mataram pessoas no mundo, e saiba qual delas é a mais perigosa.

A gripe espanhola

A gripe espanhola foi uma pandemia do vírus influenza A H1N1 que atacou a humanidade em 1918, último ano da Primeira Guerra Mundial. Embora a origem do vírus seja desconhecida, há uma teoria de que a doença começou no Kansas, Estados Unidos. No entanto, também existem hipóteses do surgimento da gripe espanhola em uma base militar norte-americana na China e França.

Cupom de Desconto Farmadelivery
a gripe espanhola foi uma pandemia que atacou a humanidade em 1918, último ano da Primeira Guerra Mundial
a gripe espanhola foi uma pandemia que atacou a humanidade em 1918, último ano da Primeira Guerra Mundial

A doença ficou conhecida como gripe espanhola por ter sido o país a tomar as providências contra o vírus, que se espalhou rapidamente pela região.

A gripe espanhola infectou aproximadamente 500 milhões de pessoas no mundo todo, o que correspondia a 27% da população mundial da época, de 1,9 bilhão de pessoas. As mortes causadas pela doença passou dos 17 milhões de infectados, e podem ter chego até 100 milhões, entre 1-6% da população de todos os continentes.

Por afetar diversos sistemas do organismo, os sintomas da gripe espanhola eram variados, o que acabava confundindo o diagnóstico por ser uma doença desconhecida. Os infectados apresentavam sintomas como:

  • dores musculares;
  • dor de cabeça intensa;
  • cansaço em excesso;
  • insônia;
  • febre acima de 38º;
  • dificuldade para respirar;
  • dor abdominal;
  • pneumonia;
  • inflamação na faringe, laringe, brônquios e traqueia;
  • falta de ar;
  • diminuição ou aumento dos batimentos cardíacos;
  • aumento da concentração de proteína na urina (proteinúria);
  • nefrite, doença inflamatória dos rins

Depois de algumas horas do surgimento dos primeiros sintomas, os pacientes ainda apresentavam manchas marrons no rosto, tosse com sangue, sangramento nas orelhas e nariz e pele azulada.

Gripe suína

Também causada pelo vírus influenza A H1N1 depois de milhares de mutações do vírus, a gripe suína teve surto em 2009, e matou aproximadamente 2 mil pessoas no Brasil. No mundo, o número de mortos chegou em 17 mil.

O vírus sofreu uma mutação no México e passou a infectar os humanos, recebendo o nome de gripe suína por antes infectar apenas os suínos.

Os sintomas são semelhantes aos da gripe comum, incluindo:

  • febre;
  • tosse;
  • dores musculares;
  • dor de cabeça;
  • coriza;
  • dor de garganta e cansaço.

Embora os sintomas sejam leves, a gripe suína tem mais chances de desenvolver complicações como pneumonia e insuficiência respiratória do que os outros tipos de gripes. Ainda pode piorar distúrbios cardíacos e pulmonares e também a diabetes, e durante a gestação pode ser responsável pelo aborto ou parto prematuro.

as grávidas fazem parte do grupo de risco que pode desenvolver complicações graves
as grávidas fazem parte do grupo de risco que pode desenvolver complicações graves

O grupo de risco para complicações são crianças com menos de 5 anos de idade, idosos, pacientes com distúrbios hepáticos e renais e indivíduos com o sistema imunológico enfraquecido. Entretanto, há também riscos de desenvolvimento de complicações até mesmo em pacientes saudáveis.

H3N2

O surto de gripe de 2018 nos Estados Unidos também provocou milhares de mortes no país, e chegou até mesmo a contaminar algumas pessoas no Brasil. Só em solo americano a gripe infecta mais de 47 mil pessoas, e causou mais de 50 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave em 13 estados brasileiros.

Os sintomas são os mesmo do que uma gripe normal, sendo difícil diferenciar:

  • febre acima de 38º;
  • coriza;
  • perda de apetite;
  • dores musculares e nas articulações;
  • tosse seca.

Além de poder evoluir para a SARS, a influenza H3N2 também pode desencadear uma pneumonia em pacientes de riscos como idosos e crianças menores de 5 anos.

Qual a gripe mais perigosa?

De acordo com os dados de vítimas e sintomas, a gripe espanhola é a gripe mais perigosa de todas, já que tem potencial letal mais elevado em comparação aos outros tipos de gripe, embora o vírus não circule mais entre os humanos. Vale lembrar, porém, que os outros subtipos do vírus influenza também são perigosos e devem ser tratados corretamente para evitar complicações, que são as maiores causas de morte por gripes.

Vacinação

Atualmente no Brasil a vacina contra gripe já conta com a imunização ao H1N1 e ao H3N2 e consegue proteger o organismo em até 90%. A vacina não é capaz de proteger 100% pela rapidez com que o vírus sofre mutações, e é importante tomar alguns cuidados a mais para proteger-se da doença.

Leia também O que fazer para melhorar a gripe?

Esses cuidados incluem hábitos alimentares saudáveis, maior ingestão de água e uma alimentação rica em vitamina A, B, C, D e E, ômega 3, ferro, zinco e potássio.

a vacina contra gripe continua sendo a maneira mais eficiente de prevenção da doença
a vacina contra gripe continua sendo a maneira mais eficiente de prevenção da doença

Outra informação importante é que a imunização ao vírus acontece somente após 14 dias da vacina, tempo que o corpo leva para criar anticorpos capazes de proteger contra a infecção. Por ser inativado em laboratório, a vacina contra gripe não é capaz de causar a doença como efeito colateral.

Agora que você viu qual a gripe mais perigosa não deixe de tomar a vacina contra a gripe em todas as campanhas, principalmente se você estiver no grupo de risco. Afinal, embora o vírus da gripe espanhola não circule nos dias de hoje, os outros vírus podem causar complicações que podem ser letais. Criar hábitos alimentares saudáveis também ajuda a fortalecer o sistema imunológico e evita a infecção por diversos outros vírus e bactérias.

Veja as ofertas de medicamentos para gripe e resfriado na Farmadelivery!